XXXIX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

EFEITO DE UMA SESSÃO DE EXERCÍCIO FÍSICO NOS VALORES DE TROPONINA ULTRASSENSÍVEL EM PACIENTES PORTADORES DE ANGINA REFRATÁRIA

Carla Giuliano de Sá Pinto Montenegro, Camila Paixão Jordão, Luciana Oliveira Cascaes Dourado, Camila Regina Alves Assumpção, Marcelo Luiz Campos Vieira, Luís Henrique Wolff Gowdak, Luciana Diniz Nagem Janot de Matos
HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN - - SP - BRASIL, INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução: Apesar de todos os benefícios reconhecidos do exercício físico na doença arterial coronariana, portadores de angina refratária representam um desafio para prescrição de exercício. A segurança da execução de atividade física nessa população ainda é pouco estudada.Objetivo: O objetivo do presente estudo foi investigar a resposta de troponina ultrassensível após uma sessão de exercício físico em pacientes portadores de angina refratária. Metodologia: A amostra foi composta por 28 pacientes portadores de angina refratária que estavam em tratamento clínico otimizado, com isquemia miocárdica documentada por método de imagem (ecocardiografia sob estresse), em acompanhamento na unidade de coronariopatias crônicas do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. A média de idade foi de 64 anos, sendo 35,7% mulheres e 64,3% homens, que foram submetidos a uma sessão de 40 minutos de exercício aeróbio realizado em esteira ergométrica, prescrito com base na frequência cardíaca de isquemia (infra desnivelamento do segmento ST e/ou angina) atingida durante o teste ergoespirométrico. A troponina ultrassensível foi analisada com base em coleta pré e pós 3 horas da sessão de exercício. Para análise estatística foi utilizado Wilcoxon Matched Pairs Test. Resultados: 12 pacientes (42,85%) apresentaram angina durante o treino, sendo que 4 deles (14,2%) necessitaram utilizar nitrato para controle dos sintomas. Além disso, 21,4% dos indivíduos apresentaram valor de troponina ultrassensível basal acima dos valores considerados normais, sendo que apenas 17,85% mantiveram os valores alterados após o esforço. Não houve diferença significativa nos valores de troponina ultrassensível entre pré e pós exercício [0,010 (0,008 - 0,015) e 0,012 ( 0,008 - 0,014) ng/ml, Z=1,69 , p=0,08], e ambos valores ainda se mantiveram dentro da normalidade. Conclusão: Uma sessão de exercício físico aeróbio de 40 minutos realizada no limiar de isquemia não provoca aumento de troponina ultrassensível, marcador de isquemia miocárdica, em portadores de angina refratária, mostrando que o exercício físico nessas condições pode ser realizado de forma segura. 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXIX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

31 de maio a 02 de junho de 2018
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil