Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Efeito crônico da Reabilitação Cardiovascular em paciente com Insuficiência Cardíaca Isquêmica e Dispositivo Cardíaco Eletrônico Implantável.

Isabela Marçal, Renato Pelaquim, Lúcia Diello, Carol Alves, Sofia Massaro, Renata Leite, José Ivanilson da Silva, Angela Rubia, Luiz Eduardo Mastrocolla
INSTITUTO DANTE PAZZANESE DE CARDIOLOGIA - - SP - BRASIL

INTRODUÇÃO: Insuficiência Cardíaca é uma síndrome que resulta no prejuízo da estrutura ou função do coração. O cardioversor-desfibrilador implantável (CDI) auxilia nesta condição pois é capaz de detectar arritmias graves e tratá-las imediatamente por meio de estímulos elétricos. A Reabilitação Cardiovascular (RCV) é capaz de promover adaptações funcionais que auxiliam na melhora destes pacientes. OBJETIVO: Analisar o efeito crônico pré e pós implante de CDI na fração de ejeção (FE), consumo de oxigênio máximo (VO2máx), equivalente respiratório de gás carbônico (VE/VCO2) e classe funcional (CF) dentro de um programa de RCV em paciente com CDI. DESCRIÇÃO: A.T, sexo masculino, 68 anos, 106 kg, 1,84m. DADOS CLÍNICOS: doença arterial coronariana, infarto agudo e revascularização do miocárdio, dislipidemia, hipertensão, insuficiência cardíaca isquêmica, implante de CDI após episódios de síncopes constantes e ritmo ideoventricular acelerado, troca de gerador devido fratura de cabo e 32 choques inapropriados. MEDICAÇÃO: AAS, Carvedilol, Amiodarona, Enalapril, Lasix, Espironolactona, Sinvat. MÉTODOS: Iniciou RCV fase II em 2008, evoluindo para fase III em 2010 até o momento atual. Avaliou-se 6 ecocardiogramas, 8 testes cardiopulmonares e 8 testes ergométricos.

DATA Ecocardiograma

FE% (Método de Simpson)

18/12/2007

26

30/10/2008

28

26/02/2010

29

19/08/2011

32

19/11/2012

28

31/07/2015

26

DATA Teste Cardiopulmonar

VO2máx  (L/min)

VO2máx (ml.Kg.min­)

VE/VCO2slope

CF (Weber e Janicki)

28/01/2008

-

14

45

B

19/11/2008

1,927

17

40

B

09/06/2009

2,344

16

37

B

20/01/2010

2,312

17

35

B

18/08/2010

2,312

17

39

B

27/01/2015*

2,691

17

34

B

11/11/2016

1,830

18

35

B

11/07/2017

2,079

19

31

B

           

 

DATA Teste Ergométrico

CARGA ATINGIDA

TEMPO TESTE

CARGA PRESCRITA

ALTERAÇÕES ECG

10/03/2010

100

17

75

ESV

29/10/2010

100

17

62,5

0

08/04/2011

75

13

62,5

ESV

20/10/2011

75

11

50

0

07/05/2013*

75

11

50

ESV

19/05/2014

75

11

50

ESV, 2 RIVAS

06/05/2015

75

11

50

ESV, TVNS

24/02/2016

75

11

50

ESV

*PÓS-IMPLANTE DE CDI

CONCLUSÃO: Conclui-se que após 10 anos em programa de RCV e com implante de CDI neste período, o paciente evoluiu sua eficiência ventilatória e demonstra tendência de melhora em VO2 máximo, além de permanecer estável nos parâmetros funcionais e não demonstrando piora em seu quadro clínico.

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXIX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

31 de maio a 02 de junho de 2018
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil