Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

PTCTS: Uma nova droga anti-aterosclerótica promovendo aumento de SUMO1 e estabilização da placa em coelhos.

Campos JC, Gavarelo SM, Palomino SA, Wadt NSY, Moreno CR, Pompeu E, Higuchi ML
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução: Trabalhos prévios do laboratório mostraram que placas de aterosclerose instável contêm grande quantidade de agentes infecciosos como o Mycoplasma pneumoniae (Mp), que apresentam características únicas como a necessidade de colesterol para sua sobrevivência. Micoplasmas estimulam a produção de proteases específicas do sistema de sumoilação, desconjugando as proteínas SUMO (Small Ubiquitin-like MOdifier), responsáveis pela regulação pós traducionais fundamentais na  indução ou inibição de apoptose. O PTCTS é uma nova droga que pode levar à regressão do processo aterosclerótico ao eliminar micoplasmas pela sua capacidade de realocação de ácidos siálicos e melhora da resposta imune. 
Objetivo: Avaliar se PTCTS leva a regressão da placa em paralelo com aumento na expressão do SUMO1, em coelhos alimentados com colesterol.
Metodologia: Foram estudados 3 grupos de 9 coelhos alimentados com dieta hipercolesterolêmica ou normal por 12 semanas: G1 (controle positivo) – dieta com 1% de colesterol, sem tratamento, G2 (tratado) – dieta com 1% de colesterol e tratamento com PTCTS durante as últimas 6 semanas e G3 (controle negativo)- dieta normal sem tratamento. A aorta foi coletada e analisada macroscopicamente pela porcentagem de área de gordura intimal atraves da coloração Sudan IV e microscopicamente, em corte transversal da aorta ascendente, emblocado em parafina. Secções de 5 µm foram submetidas à técnica de imunohistoquímica com anticorpo anti SUMO 1 (clone SM1/495 – Novus). A porcentagem de gordura e a quantidade de células positivas para SUMO1/mm2 foram obtidas pelo sistema Aperio Technologies, Inc. CA, USA. A análise estatistica foi feita entre os grupos G1 e G2 pelo teste T de Student, excluindo o grupo G3 por não apresentar placa aterosclerótica.
Resultados: Houve significativa redução da porcentagem de área positiva para gordura na íntima das aortas dos coelhos do grupo G2 em comparação com G1, e um aumento de nº. de células SUMO1 positivas / mm2 na intima do grupo G2 em comparação com G1(tab), em associação com mudança da morfologia da placa, cuja superfície ficou recoberta por fibras fusiformes indicando uma maior estabilização da placa. O grupo G3, que não comeu colesterol, não desenvolveu placas ateroscleróticas. (figura)
Conclusão: O PTCTS levou a redução da quantidade de placas gordurosas em coelhos alimentados com dieta rica em colesterol, e o mecanismo pode ser devido a uma remoção do micoplasma, levando a um ressurgimento da ação do SUMO1, podendo induzir apoptose de células xantomatosas, densamente infectadas por essa bactéria.

 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXIX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

31 de maio a 02 de junho de 2018
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil