Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Elevação Imediata da Creatinina Pós-operatória como Marcador de Lesão Renal Aguda Baseado nos Critérios AKIN em Pacientes Submetidos à Cirurgia Cardíaca.

Cristiane de Carvalho Singulane, Maurício de Nassau Machado, Mariana Pimentel Pastor, Rafael Carlos Miranda, Rodrigo Lemos de Almeida Castro, Danilo Fernando Martin, Jamil Alli Murad Júnior
FACULDADE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – FAMERP - - SP - BRASIL

Introdução: Lesão renal aguda (LRA) é uma complicação frequente e grave após cirurgia cardíaca. As classificações RIFLE, AKIN e KDIGO são importantes ferramentas de avaliação dos pacientes, mas necessitam de 2 a 7 dias para confirmação diagnóstica. Objetivo: Quantificar e validar a capacidade do aumento imediato da creatinina sérica (CrS), medida no pós-operatório imediato (POI), em identificar pacientes com maior risco de evolução com LRA após revascularização do miocárdio (RM) ou cirurgia valvar (CV) baseado nos critérios AKIN (aumento da CrS ≥ 0,3 mg/dL ou ≥ 50% seu valor basal em intervalo ≤ 48 horas). Métodos: Entre jan/03 à jun/17, 3.461 pacientes foram submetidos à RM (63%) ou CV (37%) em nosso serviço. Aleatoria e eletronicamente, os pacientes foram divididos em duas coortes: desenvolvimento (70%) e validação (30%). Na coorte de desenvolvimento foi identificada a variação percentual (%∆) da CrS (100 X [CrS POI – CrS Pré-op] / Pré-op) associada ao desenvolvimento de LRA de acordo com a área sob a curva ROC (receiver operating characteristic). O ponto de corte encontrado (10%) foi então aplicado na coorte validação como uma variável categórica em 3 níveis: %∆CrS ± 10% (referência); redução %∆CrS ≥ 10% e Aumento %∆CrS ≥ 10%. Resultados: LRA em até 48 horas de admissão ocorreu em 36,4% e 33,2% dos pacientes das coortes de desenvolvimento e validação, respectivamente (P = 0,070). Na coorte validação, 36,5% apresentaram %∆CrS ± 10%, 35,0% apresentaram redução %∆CrS ≥ 10% e 28,5% apresentaram aumento %∆CrS ≥ 10%. Após análise multivariada, 5 variáveis associaram-se independentemente ao desenvolvimento de LRA: idade (anos) (OR – 1,06; IC95% – 1,04 a 1,08; P < 0,001), aumento %∆CrS ≥ 10% (OR – 5,19; IC95% – 3,24 a 8,32; P <0,001), tempo de CEC (min) (OR – 1,02; IC95% – 1,01 a 1,02; P < 0,001), clearance de creatinina (CKD-EPI [mL/min/1,73m²]) (OR – 0,98; IC95% – 0,97 a 0,99; P = 0,001) e redução %∆CrS ≥ 10% (OR – 0,39; IC95% – 0,25 a 0,61; P < 0,001). Área sob a curva ROC foi de 0,80 e 0,79 nas coortes desenvolvimento e validação, respectivamente, mostrando discriminação adequada do modelo. Não houve significância estatística no teste de Hosmer-Lemeshow (P = 0,461) mostrando calibração adequada com ótima concordância entre risco predito e risco observado. Conclusão: Em pacientes submetidos à RM ou CV, elevação precoce da CrS (10%) foi um marcador útil na identificação de pacientes com maior risco de evolução com LRA baseado nos critérios AKIN.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXIX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

31 de maio a 02 de junho de 2018
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil